CATARATAS

O que é a Catarata ?

Catarata é uma opacidade parcial ou total do cristalino, a lente natural do olho humano que fica localizada atrás do orifício da pupila.

O cristalino colabora na convergência dos raios luminosos para formação da imagem na retina, portanto qualquer alteração na sua transparência pode afetar a visão nítida. O cristalino é uma estrutura muito importante para proteger a região macular (a região mais nobre da retina) contra a radiação UVA/UVB tanto da atmosfera (as radiações são emitidas pela luz solar) bem como pelas telas de equipamentos eletrônicos como TVs, IPhones, IPads, etc. e de todas as emissões de luzes azuladas que podem causar o aparecimento da degeneração macular ou DMRI.

Causas das cataratas

A causa mais comum de catarata é a senil, ou seja, o envelhecimento natural do cristalino ao longo da vida. Existe também a catarata congênita, na qual o bebê já nasce com catarata (forma mais rara) e causas secundárias como o uso crônico de medicações tipo as cortisonas, doenças metabólicas, diabetes, uveítes (inflamação intra-ocular), trauma e exposição excessiva à radiação ultravioleta produzida tanto na atmosfera quanto por equipamentos eletrônicos como acima mencionado.

Sintomas das cataratas

A catarata apresenta-se, na maioria das vezes, como uma perda visual progressiva tanto para perto quanto para longe. Essa baixa de visão pode ser unilateral ou bilateral. O paciente pode queixar-se de perda de contraste das cores e pode necessitar trocas freqüentes dos grau de seus óculos sem melhora da qualidade de visão.

Diagnóstico de catarata

O diagnóstico de catarata é feito pelo oftalmologista através de uma consulta acompanhada de dilatação da pupila. Caso seja identificada a existência de catarata, exames complementares poderão ser realizados para complementação do diagnóstico, como por exemplo, PAM (Acuidade Visual Potencial), Microscopia Especular, Paquimetria, Fundoscopia, Mapeamento de Retina, Retinografia, OCT (Tomografia de Coerêcia Ótica), PIO (Pressão Intraocular), Ecografia (Ultrassonografia ocular), Biometria, Aberrometria ocular, etc.

Tratamento das cataratas

O tratamento da catarata é cirurgico. Não existem colírios ou qualquer outro tratamento clínico para correção desta opacidade do cristalino.

A partir do momento em que a baixa acuidade visual não é mais corrigida com o uso de correções ópticas há indicação cirúrgica. O momento propício para a realização da cirurgia depende também do prejuízo e do comprometimento que esta opacificação vem trazendo ao cotidiano e as funções habituais do paciente.

A cirurgia consiste na remoção do cristalino por microfragmentação e aspiração do núcleo, num processo chamado faco-emulsificação seguida de uma implantação de lente intra-ocular.

Atualmente, temos também a possibilidade de corrigir erros refrativos (miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia) durante uma cirurgia de catarata, ou seja, além de retirarmos a catarata contamos com uma variedade de lentes intra-oculares que ajudam a corrigir esses erros refrativos.


Dr. João Borges Fortes Filho

Mestre, Doutor e Pós-doutor em Oftalmologia pela UNIFESP
Professor da Faculdade de Medicina da UFRGS
Rua Hilário Ribeiro, 202 conjunto 301
Porto Alegre RS
Fones (51) 3222-9292 / (51) 99969-8081